Home Opinião José C. de Araújo - CE Os sessenta e um anos do Cine São Luiz

Os sessenta e um anos do Cine São Luiz

11 min read
0
155

FORTALEZA/CEARÁ – BRASIL – A Secretaria de Cultura do Ceará está festejando os 61 anos de inauguração do Cine São Luiz, hoje oficialmente chamado de Cine Teatro São Luiz.  O fato nos faz recordar dos bons tempos de uma Fortaleza ainda meio provinciana, mas dando já a noção de que se tornaria na grande metrópole que hoje é. A cidade, até o final do século anterior, era gostosa para se viver, os bairros não eram as dezenas ou centenas de hoje.

Andava-se a pé para o trabalho, para os colégios. Os bondes elétricos eram os maiores meios de transporte. Ônibus e automóveis eram poucos. Como os bairros não eram tantos,  apenas circulavam para os principais: Alagadiço (hoje Avenida Bezerra de Menezes e até a Secretaria de Agriculura); Joaquim Távora (até as imediações da hoje avenida Pontes Vieira);  Benfica ( avenida da Universidade, meia quadra além da rua Francisco Pinto, onde começava o “concreto” para Porangaba  (Parangaba); Aldeota, que ia  pouco além do Colégio Militar; para o Bairro José Bonifácio,  que trafegava pela rua Major Facundo, com ponto terminal na hoje  avenida Antônio Sales. A menor linha saia da Praça do Ferreira, terminando na Estação João Felipe. Como eram divertidas as viagens bondes!

Centro de Fortaleza

O centro pulsante de Fortaleza, desde que começou a ser cidade, era a Praça do Ferreira, que no seu o entorno concentrava as grandes lojas, os melhores cinemas, como o Politheama, o Majestic o Cine Moderno e o Cine Diogo. Pois foi neste ponto neurálgico da nossa urbe que o cearense Luiz Severiano Ribeiro, o então “rei” das empresas de cinema do Brasil, quis brindar sua terra.

Através do Grupo Severiano Ribeiro mandou derrubar o Politheama, cinema mudo como se chamava, e construiu o Cine São Luiz. A edificação da nova e moderníssima casa de divertimento foi das mais longas, iniciada que foi em 1939. Em termos de prosa, chagava-se a apostar qual seria a primeira a ser concluída, se a atual Catedral Metropolitana, construção começada com a derrubada da Igreja da Sé, ou o cinema de Severiano Ribeiro. Ganhou o São Luiz, que na sua inauguração, no dia 26 e março de l958, contou com a presença de figuras representativas do Estado e da sociedade, inclusive do patrono. Festa marcante, com a exibição do filme Anastácia. Na tarde da véspera da inauguração, para mostrar a beleza do cinema, uma cópia do Cine Marrocos de São Paulo, houve uma exibição para imprensa do filme “Suplicio de Uma Saudade”, bela história de amor passada em Hong Kong, durante a 2ª Guerra Mundial.  Tivemos o prazer de ver o filme e conhecer a grande casa de espetáculos.

Grande ponto de atração

Durante muitos anos o “São Luiz” continuou imponente, o grande ponto de atração dos amigos da “sétima arte”.  Contudo, com a descentralização de Fortaleza, com o comércio procurando novos rumos, o São Luiz foi perdendo o charme e não mais contou com a presença maior dos fortalezenses. Foi então que, em 2013, houve o arrendamento pela FECOMÉRCIO e passou a funcionar com a denominação de Centro Cultural Luiz Severiiano Ribeiro. Em 2014, porém, o Governo do Estado o adquiriu, revitalizando-o para ser o que é hoje – um centro de cultura multifacetado que abriga programas diversos e não apenas somente exibição de filmes, cinema. Portanto, tem uma história bonita o São Luiz, um dos maiores pilares da divulgação do pensamento vivo cearense e de outras tribos.

Dia internacional da Síndrome de Down 

Em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down, a Prefeitura de Fortaleza recebeu ontem, a partir das 9h, na Praia de Iracema, no Projeto Praia Acessível,  cerca de 60 pessoas das Associações APAE e Pestalozzi Fortaleza. 

O Praia Acessível, que funciona desde 2016, é uma iniciativa da Secretaria Municipal do Turismo de Fortaleza (Setfor), gabinete da Primeira Dama e Governo do Estado do Ceará. O espaço oferece esteiras e cadeiras anfíbias, possibilitando o banho de mar assistido às pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida, além de quadras de vôlei adaptada e piscinas infantis. O projeto já atendeu cerca de 4.500 usuários desde a inauguração e funciona na de quarta-feira a domingo, de 9h às 13h, na Praia do Lido.

Isenção de visto

Líderes das principais entidades do trade turístico nacional festejaram a isenção de vistos para cidadãos americanos, australianos, canadenses e japoneses, conforme o decreto publicado na última segunda-feira, com validade a partir de 17 de junho próximo. 

Marco Ferraz, presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil); Paulo Solmucci Júnior; presidente da ABRASEL Nacional;  Manoel Linhares,  presidente da ABIH Nacional; Alexandre Sampaio, responsável pela área de turismo na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e Magda Nassar, vice presidente da ABAV, entre outros líderes aplaudiram a decisão, afirmando que ela muito contribuirá para o desenvolvimento do turismo brasileiro.

Notícias outras dão conta da discordância da medida, afirmando que, com o decreto,  o nosso País deixará de arrecadar R$ 60,5 milhões por ano. Já a EMBRATUR comunicou que a medida pode ajudar o país a dobrar o número de turistas estrangeiros até 2022. E mais, faz uma projeção de que, com o decreto, teremos R$ 60,5 milhões por ano com o ingresso de cidadãos dos quatro países. O tempo dirá com quem está a razão.

FONTE: Jornal ROTA DO SOL – Diretor/Editor:
Jornalista José Carlos de Araújo (Rg.149-1-37-52 DRT-CE)|
Fone: (85) 3244-4847 – e-mail : j.carlos.araujo@bol.com.br
FORTALEZA – CEARÁ – BRASIL