Home Sul Paraná 5 perguntas ao Ministro de Turismo do Uruguai

5 perguntas ao Ministro de Turismo do Uruguai

11 min read
0
33

CURITIBA/ PARANÁ -O destino Uruguai atrai pela diversidade de opções que oferece ao turista, sem falar, é claro, da icônica Punta del Este com seus cassinos. Germán Cardoso Ferreira, ministro do Turismo uruguaio, destaca a importância deste segmento para a economia do país – 8% do PIB vem dos recursos deixados pelos turistas – e falando à Now Boarding diz acreditar que até agosto toda a população do seu país esteja vacinada e, a partir daí, o Ministério tem planos para reabrir as fronteiras e receber visitantes.

O Uruguai é um muito desenvolvido na área do turismo recebendo no país praticamente o mesmo número de seus habitantes. Com a pandemia e o fechamento das fronteiras, como o mercado do turismo foi impacto no Uruguai?

Germán Cardoso Ferreira, ministro do Turismo – O turismo é uma das atividades com maior impacto em todas as economias do mundo. A Organização Mundial do Turismo (OMT) indica que, antes da pandemia, um de cada dez empregos pertencia a este setor, alcançando cerca de 10% do PIB global. A partir da crise originada no setor turístico em 2020 em escala global, no que já foi denominado como o zero turístico da atividade, o Uruguai não ficou de fora desta crise e de março a junho de 2020 todo o setor turístico esteve fechado e sem atividade. A partir daí, o governo nacional decidiu cumprir as três etapas propostas pela OMT e pela Organização Mundial da Saúde.

De que maneira o governo apoiou os diversos setores da indústria do turismo?

Germán Cardoso – Por um lado, para sustentar a estrutura turística nacional foram implementadas 22 medidas de reativação e promoção do turismo interno como Sistema de Garantias, Cartão BROU – cartão do Banco da República Oriental del Uruguay que permite a cidadãos uruguaios e residentes no Uruguai possam fazer turismo interno com descontos – , IVA 0% nos serviços de hotelaria, Isenção do Imposto sobre o Rendimento de Pessoa Física, entre outras medidas, e novos benefícios que foram aprovados pelo Parlamento no início deste ano e que entrarão em vigor em 2021. Em segundo lugar, a reabilitação da economia turística. Para isso, foi colocado em funcionamento o turismo interno (hotelaria, gastronomia e centros termais), salas de espetáculos e festas, todos com protocolo de saúde e lotação limitada. Resta definir quando o turismo de encontro pode ocorrer novamente. E em terceiro lugar, a reinvenção, que estava definida no Plano Estratégico 2020-2024 e, que por motivos óbvios, teve de ser retardada em sua execução no primeiro ano de nosso governo devido ao advento da pandemia. A destacar alguns pontos, como a diversificação e gestão da oferta, melhorando a infraestrutura: por exemplo, já foram abertos três chamados para novos hotéis da Rocha, Atlántida e Carmelo. Além disso, a criação do escritório de captação de investimentos turísticos e o desenvolvimento da promoção interna para receber novos mercados e segmentos a nível regional e internacional e aumentar a presença em feiras. Trabalhamos com empreendedorismo e inovação no setor e, algo muito importante, é o desenvolvimento humano para a formação e educação de pessoal.

O Uruguai foi um dos primeiros países da América Latina a fechar suas fronteiras. Existe uma definição de critérios para que o país volte a receber turistas?

Germán Cardoso – Depois de um ano de pandemia, o setor quer se mostrar priorizando a sua população e a saúde sem descuidar do turismo e para isso espera-se até agosto 100% de nossa população esteja imunizada e provavelmente seremos um dos primeiros países a liderar a reabertura do turismo na América Latina e permitir a entrada de visitantes. Durante todo este tempo, o presidente da República, Luis Lacalle Pou, tem enfatizado a liberdade responsável e por isso faremos este apelo também quando voltarmos a receber o turista.

Como o Uruguai está se preparando para receber seus turistas?

Germán Cardoso – No nosso país, todas os operadores ligados ao turismo possuem um selo oficial de Operador Responsável onde fica estabelecido que cumprem os protocolos de saúde. Até agora não registramos infecções em qualquer local ligado ao turismo desde junho de 2020 quando o setor foi novamente ativado. É preciso entender que o turismo para o Uruguai é um setor de vital importância. Para o país, significa dobrar a população pelo número de turistas que entram a cada ano, cerca de três milhões e meio. Outro ponto é criar movimento na economia do setor que representa 8% do PIB e deixa, aqui, US$ 2 bilhões de receita anual. No que diz respeito às etapas, os protocolos de saúde pertinentes em hotéis, gastronomia e parques termais certamente devem ser atualizados, tendo em conta que a capacidade será superior à atualmente percorrida.

O Brasil representa cerca de 15% do total de turistas que visitam o Uruguai anualmente. Como o Ministério acredita que deverá ser o comportamento do turista brasileiro quando for possível voltar a viajar ao Uruguai? O governo tem planos de incentivar, fazer alguma promoção, para atrair o turista brasileiro?

Germán Cardoso – Para o nosso país, o Brasil é o segundo mercado depois da Argentina e o terceiro é a chegada de uruguaios residentes no Exterior. O Ministério já está trabalhando em conjunto com operadoras privadas para priorizar uma oferta de qualidade e estimular a promoção do turismo. Além disso, outros fatores serão levados em consideração, como a facilidade de entrada de visitantes com veículos próprios, o desenvolvimento de novos mercados, mais conectividade aérea. A isso se soma a divulgação de novos atrativos turísticos em diversos pontos do país, além das tradicionais praias, locais históricos ou centros termais.

Por Jean Luiz Féder ( Revista Now Boarding ).