Home Sudeste Minas Gerais 40 anos do título de Patrimônio Mundial da Humanidade de Ouro Preto

40 anos do título de Patrimônio Mundial da Humanidade de Ouro Preto

15 min read
0
456

BELO HORIZONTE/MINAS GERAIS – BRASIL – Localizado a apenas 90 Km de Belo Horizonte, Ouro Preto tem muito que festejar. O carnaval chegando com uma das folias mais animadas do interior do estado, e expectativa de receber cerca de 50 mil visitantes, a turística cidade traz como tema da sua festa em 2020, com os 40 anos de reconhecimento como Patrimônio da Humanidade, título concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

(Legenda da foto acima: Estrutura que receberá tapumes está sendo instalada em vários pontos domunicípio. Objetivo é proteger bens do patrimônio e visitantes).

A montagem da estrutura está adiantada, com destaque para os tapumes de proteção dos monumentos históricos, localizados na Ponte dos Contos, Chafariz dos Contos, Rua Getúlio Vargas, sentido Rosário, Praça Tiradentes e Rua Barão de Camargos, sentido Mariana.

Praça Tiradentes, no centro de Ouro Preto

Para dar mais beleza à cidade durante a festa, entre os dias 20 e 25, o Carnaval Patrimônio terá tapumes pintados com motivos alusivos à rica história local, incluindo igrejas, capelas, museus e outros tesouros coloniais. Será também o início das comemorações pelos 300 anos da Sedição de Vila Rica, cujo protagonista, Filipe dos Santos (1680-1720), se revoltou contra a cobrança de impostos pela Coroa portuguesa. Neste ano é comemorado também o tricentenário de Minas, pois, em 1720, a capitania se separou de São Paulo, o que representa, portanto, tripla comemoração. “Além de homenagear nossa história, pois o carnaval daqui é centenário, os tapumes trazem proteção para a vida humana”, diz do secretário municipal de Cultura e Patrimônio, Zaqueu Astoni Moreira. “Os turistas adoram fazer selfies tendo os tapumes ao fundo”, acrescenta, explicando que o patrocínio da folia, no valor de R$ 2,5 milhões, vem de uma fábrica de cerveja.
Pioneira no país a se tornar Patrimônio da Humanidade em 1980, Ouro Preto recebeu o título não apenas pelo Centro Histórico, mas pela “cidade histórica”, informa Zaqueu. “A programação será uma boa oportunidade para enaltecer as raízes culturais, pois resgata, dos tempos da exploração de ouro, uma intriga contada de geração a geração.” Assim, a homenagem remete aos jacubas e mocotós, como eram chamados os habitantes, conforme a região onde moravam.


As ladeiras levam os turistas as igrejas e as construções barrocas

Desde o século 18, há rivalidade entre moradores dos bairros Antônio Dias e Pilar, decorrente da disputa entre irmandades das duas paróquias na construção das igrejas e capelas mais suntuosas. A contenda ficou estabelecida, então, com os dois lados bem demarcados: de um deles, a Paróquia de Nossa Senhora do Pilar, posterior reduto dos mocotós; de outro, a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, futuro reduto dos jacubas.

Com muitos blocos que brincam pelas ladeiras, Ouro Preto tem o desfile de nove escolas de samba, com homenagem, neste ano, a nomes ilustres da cidade. Os desfiles serão nos dias 23 e 24 (domingo e segunda-feira) e as agremiações são as seguintes: Unidos do Padre Faria, homenageando Edson Gerônimo (Bigode); Acadêmicos do São Cristóvão (José Ângelo, in memoriam); Império do Morro Santana (Antônio Borges); Inconfidência Mineira (Antônio Sergio Ribeiro, o Dodô, in memoriam); União Recreativa de Cachoeira do Campo (Marcio Sávio Bretas, fundador da escola); Imperial (Vicente Gomes); União Recreativa do Santa Cruz (Fernando Marques); Princesa Isabel (José Sérvulo dos Santos); e Escola de Samba Aliança da Piedade, que homenageia Felipe Vecchia Guerra.

Na quinta-feira, às 23h, haverá o Baile de Máscaras, com show do bloco Baianas Ozadas, de BH. A festa promete fazer brilhar o Largo do Cinema, no Centro Histórico.

Trem de Ouro Preto a Mariana

Conheça histórias e belas paisagens das cidades de Ouro Preto e Mariana através de um empolgante passeio a bordo da nossa locomotiva.

Histórias

De 2004 a 2006, a Vale revitalizou a antiga ferrovia construída em 1883 com 18 quilômetros de extensão, entre as cidades de Ouro Preto e Mariana, e também foi responsável pela restauração das quatro estações do percurso – Ouro Preto, Vitorino Dias, Passagem de Mariana e Mariana. Os vagões e a locomotiva foram artesanalmente reformados, conservando suas características originais. As estações de Ouro Preto e Mariana completam em 2015, respectivamente, 127 e 101 anos.
Eixo Ferroviário

Estação Ferroviária de Ouro Preto

Para que a ferrovia chegasse a Ouro Preto e Mariana, foram necessários anos de espera e prodigiosas obras de engenharia, tamanhas eram as barreiras impostas pelas condições dos terrenos e da topografia da região. A história da construção da ferrovia de Ouro Preto, iniciada em 1883, e depois do seu prolongamento até Mariana, concluído somente em 1914, assim como a história de todo o século XIX, é capítulo importante na trajetória das duas cidades.
Foi ainda, no final do século XIX, com o advento da ferrovia, que se delineou o novo rumo do desenvolvimento econômico da região, tanto em relação à industrialização quanto ao aproveitamento das suas riquezas minerais, velho sonho dos mineiros que já não podiam contar mais com o ouro.
O Trem é composto por 6 carros de passageiros, sendo 5 convencionais (240 Lugares) e 1 Panorâmico (52 Lugares) totalizando 292 lugares.


Estação de trem de Mariana

Entre esses vagões – que mantêm o mesmo desenho dos antigos trens, com interiores em madeira –, destaca-se o panorâmico, que permite, por meio da sua estrutura transparente, a visualização completa das belas paisagens e da cachoeira.

Embarque em Ouro Preto

Sexta-feira, sábado, domingo e feriados nacionais, das 9h às 17h Tel: (31) 3551-7705 Praça Cesário Alvim, s/n. – Barra – Vendas de bilhetes de quarta-feira a domingo
Mariana Sexta-feira a domingo e feriados nacionais, das 9h às 17h
Tel: (31) 3557-3844 Praça Juscelino Kubitschek, s/n. – Centro Vendas de bilhetes de quarta-feira a domingo

Calendário de Trens

Os passeios são realizados sextas, sábados, domingos e feriados nacionais.
O pagamento das passagens do Trem da Vale pode ser feito por meio de cartão de crédito ou débito na Estação.

Descontos para embarcar no Trem Turístico Ouro Preto-Mariana

Crianças até 5 anos, no colo, não pagam. Crianças de 6 a 12 anos, adultos a partir de 60 anos e estudantes (mediante apresentação de RG e carteira de estudante dentro do prazo de validade) pagam meia-entrada. A documentação deve ser apresentada no momento da compra do bilhete.

Os naturais de Ouro Preto e Mariana, que apresentarem comprovante de residência em nome da pessoa que está solicitando o bilhete e documento de identificação com foto tem desconto.

Tirolesa acima do Gramado é a nova atração do MINERÃO


Tirolesa tem 220 metros de extensão

O principal espaço de jogos e eventos de Minas Gerais agora será palco também para aventura e muita adrenalina. A novidade, que será aberta ao público em 28 de Janeiro, é a Tirolesa Meu Mineirão, uma experiência dentro do Gigante da Pampulha com vista privilegiada do gramado. O funcionamento será de terça a domingo, em horários específicos.

A Tirolesa Meu Mineirão percorre uma extensão de 220 metros a partir do anel superior do Estádio. A altura da atração é de 35 metros, em uma velocidade que varia de 20 a 45 km/h, dependendo do peso do praticante, que influencia diretamente na aceleração da descida. O tempo estimado vai de 16 a 26 segundos. Quem decidir encarar o desafio e curtir um novo tipo de vista do Mineirão pode adquirir o ingresso na recepção do Museu Brasileiro do Futebol (MBF) ou pelo site meumineirao.com.br. O valor é de R$ 50,00 por pessoa.

Não há restrição de peso para a descida na tirolesa do Mineirão, sendo necessário apenas que o equipamento se ajuste adequadamente ao corpo do praticante, de acordo com as especificações do fabricante. A idade mínima é de 4 anos e altura superior a 1,10m.

Coluna Minas Turismo Gerais
Jornalista Sérgio Moreira
informações para [email protected]