Home Sudeste Minas Gerais As atrações e curiosidades do Circuito das Grutas

As atrações e curiosidades do Circuito das Grutas

18 min read
0
146

BELO HORIZONTE/ MINAS GERAIS -Uma viagem subterrânea em meio às belezas naturais é aventura garantida para quem visita a Gruta do Maquiné, localizada na cidade de Cordisburgo, a 120 km de Belo Horizonte. A caverna, descoberta em 1825, pelo fazendeiro Joaquim Maria Maquiné, o Seu Maquiné, é considerada o berço da paleontologia brasileira e possui sete salões com belíssimas formas arquitetônicas, esculpidas pelo trabalho da água durante milênios. Também está inserida na Rota Lund, juntamente com as Grutas da Lapinha, em Lagoa Santa, e Rei do Mato em Sete Lagoas.

A exploração científica do local foi realizada pelo dinamarquês Peter Wihelm Lund, quase uma década depois do achado na fazenda de Seu Maquiné. Ele fazia peregrinações pela bacia do Rio das Velhas à procura de espécies de animais e vegetais. Durante dois anos de pesquisa, o botânico e zoólogo descobriu restos humanos e de animais pré-históricos originários do período Quaternário, que corresponde à Era Cenozoica da escala de tempo geológica. Entre eles, esqueletos de aves fossilizadas com curvaturas de até três metros.

A Gruta do Maquiné se tornou ponto turístico da terra do escritor Guimarães Rosa por abrigar, ao longo de 650 metros, belas esculturas naturais e estalactites de diversas formas no teto da caverna. A área aberta para os visitantes, com aproximadamente 400 metros de extensão, é estrategicamente iluminada para realçar as figuras desenhadas pelo tempo. O passeio pela gruta é feito por seguras passarelas e é acompanhado por um guia local.

Os salões e as galerias encantam e provocam a imaginação do turista. No Salão do Urso ou do Elefante, por exemplo, um grande cogumelo lembra o formato da explosão de uma bomba atômica. Já na Galeria das Fadas, é possível encontrar cristais brilhantes, parecidos com franjas, grinaldas e lustres.

A Gruta possui as seguintes infraestruturas e equipamentos: Amplo estacionamento para ônibus e automóveis; Espaço para comércio de produtos como lanchonete, doces, artesanatos, livros; Sanitários públicos (masculino e feminino);Bilheteria, guarita, bancos para descanso, escadas, rampas de acesso; Intervenções realizadas nos ambientes internos da gruta, com iluminação artificial e piso em trechos específicos. A visitação acontece todos os dias, das 08:30h às 16:30h.

Meia entrada: estudantes até 17 anos. Estudantes acima dos 18 mediante apresentação de documento comprobatório. Gratuita: pessoas com idade igual ou superior a 60 anos. Não se recomenda a entrada de crianças menores de 5 anos na Gruta; de pessoas portadoras de imunodeficiências; de pessoas claustrofóbicas ou de pessoas com dificuldades de locomoção. A visita é guiada, para visitar a gruta com segurança, é obrigatório o uso de sapatos fechados;

O monumento está localizado a 5 km da Prefeitura de Cordisburgo, na rodovia MG 421. Saindo de Belo Horizonte, o principal acesso para Cordisburgo é através da BR 040 e, em seguida, pela MG 231, no trevo próximo a cidade de Paraopeba.

Todas as visitas devem ser preferencialmente agendadas através do e-mail [email protected], ou pelo telefone (31) 3715 1336 – 3715 1078, todas as pessoas tem de usar máscara, não haverá fornecimento de máscaras, água para beber e álcool gel pela administração da Unidade de Conservação.

Gruta Rei do Mato

A partir de 1840, surgiram os primeiros registros de explorações e de estudos nas cavernas da região, realizados pelo dinamarquês Peter W. Lund. O primeiro mapeamento documentado da Gruta Rei do Mato foi feito pela Sociedade Excursionista e Espeleológica em 1973. Só em 2009, porém, a área foi alçada a monumento natural.

Na Grutinha, que fica ao lado da Rei do Mato, existem pinturas rupestres, feitas com sangue e gordura vegetal, que datam de seis mil anos.

A Gruta Rei do Mato possui 998 metros de extensão, dos quais 220 metros estão abertos à visitação. Ela é considerada uma das mais belas grutas do país e considerada uma das 50 maiores cavernas de Minas Gerais pela Sociedade Brasileira de Espeleologia.

Nos salões da Rei do Mato, as estalagmites – formas arredondadas que crescem a partir do chão – disputam nosso olhar com as cascatas ou cortinas de pedras que escorrem pelas paredes e as impressionantes estalactites – formas pontiagudas que nascem a partir do teto. Não satisfeitas elas se encontram, as estalagmites e as estalactites, e formam colunas esculturais únicas.

No salão Principal, dois espeleotemas chamam a atenção: a estalactite Cenourão, de cor alaranjada, e a estalagmite Sorvetão. Já no Salão das Raridades, um dos mais importantes da caverna, estão elas – imponentes, majestosas e únicas no mundo inteiro – as Colunas Gêmeas, de calcita, cilíndricas e harmônicas, com altura estimada entre 12,5 a 13 m e diâmetro entre 25 a 30 cm.

Partindo de Belo Horizonte, até Sete Lagoas seguir pela BR-040 sentido Brasília por 70 Km. Logo após a primeira entrada para Sete Lagoas, fazer o retorno no trevo. A entrada do Monumento está na pista sentido Belo Horizonte, logo depois do retorno. Todas as visitas devem ser agendadas através do e-mail [email protected], ou pelo telefone (31) 3775-2695; as regras de visitação da Unidade de Conservação conforme a Portaria IEF 152 de 17 de outubro de 2013 continuam as mesmas: uso obrigatório de calçado fechado e idade mínima permitida de 6 anos. Não haverá fornecimento de máscaras, água para beber e álcool gel pela administração da Unidade de Conservação.

Gruta da Lapinha 

 

Em 1835 o naturalista dinamarquês Peter Wilhelm Lund, conhecido como o pai da paleontologia brasileira chegou a Lagoa Santa e descobriu a Gruta da Lapinha. Nas cavernas da região – e aí incluindo a Lapinha -, descobriu mais de 12 mil peças fósseis que permitiram escrever a história do período pleistoceno brasileiro – o mais recente na escala geológica – numa época em que o passado paleontológico era quase desconhecido pela ciência.

Considerada uma das sete maravilhas da estrada real, a Gruta da Lapinha fica no Parque do Sumidouro em Lagoa Santa e tem como característica principal as marcas de um rio subterrâneo. A gruta foi formada a partir de rochas calcárias formadas pelos restos marinhos do fundo do mar raso da bacia do rio das Velhas, de restos que foram acumulados em camadas superpostas e trabalhados pela erosão provocada pelas correntes marinhas e aéreas. É mesmo de se surpreender em encantadores 40 metros de profundidade e 511 metros de extensão, dos quais 300 são visitáveis.

Em uma viagem ao interior da Terra é possível visitar 12 salões iluminados por led que deixam qualquer um, no mínimo, muito impressionado. Alguns desses salões são interligados por escadas esculpidas nas rochas ou feitas de metal. Estes salões, as galerias e os labirintos são de extraordinária beleza e foram batizados de acordo com as imagens que sugerem, por exemplo: Véu da Noiva, Cascata de Luz, Salão de das Cortinas, Couve-Flor, Presépio e Sino.

A Gruta da Lapinha apresenta ainda um salão com gotejamento de água permanente, além de formações rochosas com micro cristais de calcita (carbonato de cálcio puro) – muito frágeis e que brilham com muita intensidade ao refletir a luz. A Gruta é isso: uma maravilha que além do que foi falado aqui você pode apreciar por essas imagens e visitar a 50 km da capital de Minas Gerais. Garantimos que a visita traz sempre uma nova descoberta a quem volta e uma encantadora e surpreendente experiência a quem vai pela primeira vez! O que podemos dizer é: permita-se conhecer a Gruta da Lapinha e se presentear com uma experiência única.   

A Gruta possui as seguintes infraestruturas e equipamentos: Receptivo turístico com: bilheteria, Museu Peter Lund, banheiros e Iluminação na gruta da Lapinha

Visitação

A visitação acontece de terça a domingo, de 08:30h às 17h, sendo a última entrada para a gruta da Lapinha às 16h. O ingresso dá direito à visitação a todos os atrativos: Gruta da Lapinha, Museu Peter Lund, Circuito Lapinha, Trilha Sumidouro, Trilha da Travessia e Escalada.

Características: Percurso: cerca de 40 minutos, Grau de dificuldade: médio, com escadas. Rua Nossa Senhora do Rosário, s/n – Lapinha – Lagoa Santa, Como chegar à Gruta da Lapinha partindo de Belo Horizonte: Saindo de Belo Horizonte, seguir pela MG 10 sentido Lagoa Santa, no caminho para Serra do Cipó, entrar à esquerda para Gruta da Lapinha cerca de 7 Km depois de Lagoa Santa e mais 5 Km até a portaria Gruta da Lapinha. Informações Telefone 31 3689 8592

Maquiné Hotel


Piscina com cascata

Localizado a apenas 90 Km de Belo Horizonte, o Maquiné Park Hotel oferece aos hóspedes um local privilegiado em uma exuberante área verde, fica a 23 km do Museu Casa Guimarães Rosa e a 28 km da Gruta do Maquiné, em Cordisburgo, terra do escritor João Guimaraes Rosa, um marco na literatura brasileira, mostrando em seus livros histórias de viagens pelo interior mineiro.

Os quartos simples com decoração aconchegante oferecem Wi-Fi, TV e frigobar. Os quartos de categoria mais alta incluem TV com tela plana. As suítes modernas contam com área de estar, banheira de hidromassagem e sacada. Serviço de quarto disponível.

O hotel oferece uma churrascaria casual e um restaurante tipo buffet com vista para uma piscina externa estilo lagoa com cascatas. Outras comodidades incluem outra piscina externa, piscina coberta e bar à beira da piscina, além de quadras esportivas, banheira de hidromassagem externa, sauna úmida. Café da manhã disponível. InformPiscina com hidromassagem e água aquecidaações: http://www.maquineparkhotel.com.br, telefone 31- 3714 6288


Piscina com hidromassagem e água aquecida
Coluna Minas Turismo Gerais
Jornalista Sérgio Moreira
informações para [email protected]   @sergiomoreira63