Home Ibero-America Uruguai Cresce mais de 20% frequência de brasileiros no fim do ano uruguaio

Cresce mais de 20% frequência de brasileiros no fim do ano uruguaio

7 min read
0
213

 

SÃO PAULO/SP- BRASIL – Uma melhora no fluxo de brasileiros além do esperado e o bom desempenho no turismo interno uruguaio é o que deixou o primeiro trecho da temporada de turismo no país ainda mais forte. Decisões do governo da Argentina em cobrar impostos para compras realizadas no cartão no exterior forçou a queda do turismo argentino no pais vizinho. ( Punta del Este: Foto meramente ilustrativa

Segundo Juan Martinez, presidente da Câmara do Turismo do Uruguai, essa medida reduziu em até 14% os assentos argentinos nos voos com destino ao aeroporto de Laguna del Sauce (Departamento de Maldonado) no último mês (de 1 de dezembro de 2019 a 5 janeiro de 2020).

Um aumento de 22,5% no fluxo de brasileiros, compensou essa baixa, excelente notícia diante das circunstâncias, mas os players do setor continuam em alerta, já que o Brasil representa apenas 15% do total de turistas.

As consultas por reservas vêm diminuindo – movimento comum desse período – mas essa é uma preocupação natural, frente a quantidade de turistas argentinos que o país recebe anualmente, 2 milhões. A própria Ministra de Turismo uruguaia, Liliam Kechichian, admitiu em entrevista a uma rádio, na semana passada, que não há como substituir esse número pela quantidade de brasileiros (cerca de 490 mil em 2019 – sem contar entradas por fronteiras secas – brasileiros que entram ao país de carro) e turistas internos do Uruguai.

Público e privado de mãos dadas

O Governo central e as intendências, juntamente aos operadores turísticos, estão se preparando para superar as dificuldades dos argentinos em visitar o país. Novamente os benefícios fiscais são concedidos a todos os turistas estrangeiros, já em operação e com validade até 30 de abril de 2020.

Em geral, reembolso de todo o IVA referente a serviços turísticos a pessoas físicas, se pago com cartão de débito ou crédito, emitido no exterior. O governo também planeja uma redução de 24% no preço da gasolina nas estações de serviços localizadas a no máximo 20 quilômetros das fronteiras com Brasil e Argentina. Em Rocha, Maldonado e em Atlántida – Costa de Oro de Canelones, players do turismo organizaram um pacote turístico com quase 300 produtos, cujo compromisso é não ter nenhum tipo de aumento até abril desse ano. Além disso, a indústria hoteleira se comprometeu em congelar seus preços.

Para isso, devem ser acrescentadas outras iniciativas do setor privado. A partir do Programa de Inclusão Financeira, são implementadas alternativas para o pagamento de bens e serviços com moeda eletrônica. Uma das formas é a aquisição de cartões pré-pagos ou carteiras eletrônicas emitidas por entidades não bancárias, regulamentadas pelo Banco Central do Uruguai. O dinheiro é armazenado neles e pode ser usado para fazer pagamentos e débitos diretos. Eles também permitem que você retire dinheiro a qualquer momento.

Essa promoção das empresas de cartões, que funcionam como cartão de débito, com a diferença de que não estão associadas a uma conta bancária, é uma alternativa interessante para os visitantes que chegam ao Uruguai. A operação não tem custo adicional para o visitante estrangeiro e permite o acesso à devolução de 9 pontos de IVA no consumo de bares e restaurantes e 4 pontos de IVA nas compras em geral.

Cartões

Os cartões também oferecem benefícios como descontos especiais e economia no carregamento de combustível nas áreas de fronteira. O procedimento para obtê-los é extremamente simples. Uma das opções é o cartão Midinero, pode ser encomendado em qualquer uma das mais de 450 lojas Redpagos em todo o país. Ele fornece uma solução para quem não quer transportar dinheiro constantemente e busca obter um desconto em seu consumo.

Outra opção pré-paga é o ABITAB, um cartão que permite os mesmos benefícios fiscais que o anterior, com retornos de 4 e 9 pontos respectivamente e um desconto de 24% nos postos de gasolina nas áreas de fronteira.

FONTE: Fernanda Bertin
SÃO PAULO/SP – BRASIL
[email protected]