Home Sul Rio Grande do Sul Festival de Cinema de Gramado encerra edição histórica

Festival de Cinema de Gramado encerra edição histórica

30 min read
0
54

GRAMADO/ RIO GRANDE DO SUL – A Cerimônia de Premiação, apresentada por Marla Martins e Renata Boldrini direto do Palácio dos Festivais, em Gramado, iniciou em ritmo de festa. A revelação dos vencedores e a entrega dos Kikitos sempre é uma grande celebração ao cinema brasileiro e ibero-americano. E desta vez, no 48º Festival de Cinema de Gramado, não foi diferente. Separados pela distância física, mas aproximados pela tecnologia e pela vontade de integrar a primeira edição multiplataforma, as equipes participaram por telão. Atentos e emocionados, ouviram e vibraram a cada revelação desta edição histórica.

O longa pernambucano “King Kong en Asunción”, de Camilo Cavalvante, conquistou três Kikitos, entre eles o de Melhor Filme do 48º Festival de Cinema de Gramado. Andrade Júnior, o protagonista que infelizmente não chegou a ver a obra concluída porque faleceu em maio de 2019, foi reconhecido como Melhor Ator pela brilhante atuação do matador de aluguel que depois de cometer o último assassinato na região desértica de Salar de Uyuni se esconde no interior da Bolívia e em seguida decide ir atrás da filha que nunca conheceu. A produção passou por três países e contou com profissionais de cinco. “Estou muito muito surpreso. Eu acho que cinema e arte não são corrida de cavalo, que tem o melhor ou o pior. Todos os filmes que foram apresentados tem o seu valor. Sem a arte a gente não tem sobrevive ao peso da vida. Seguimos com a vontade de construir um país e uma América Latina mais igual, mais justa e mais afetuosa… A gente está vivendo um momento surreal, de violência e de falta de tolerância do ser humano”, comenta o diretor Camilo, emocionado. O filme leva o Kikito ainda na categoria Melhor Trilha Musical, prêmio para Shaman Herrera, que divide a estatueta com Salloma Salomão, de “Todos os Mortos”.

“Todos os Mortos”, o longa de Caetano Gotardo e Marco Dutra, que aborda a história do Brasil a partir da perspectiva de pessoas escravizadas, venceu nas categorias de Melhor Atriz Coadjuvante, para Alaíde Costa, e Melhor Ator Coadjuvante, para Thomás Aquino.

Camilo Cavacante, diretor de King Kong en Asunción
Edison Vara | Pressphoto

O consagrado cineasta Ruy Guerra levou o Kikito de melhor direção por “Aos Pedaços”. O filme levou ainda o prêmio de melhor fotografia para Pablo Baião, e melhor desenho de som, para Bernardo Uzeda. “Quero agradecer a coragem de dar uma premiação a um filme como ‘Aos Pedaços’ que foge à regras, é um filme que nem todo jurado teria coragem de premiar. À minha equipe, que me ajudou a descobrir o filme que eu queria fazer. Foi um filme em que precisei de muitos talentos, e tive esses talentos. Mas também não posso deixar de falar da escuridão em que estamos vivendo. Um governo que dizima as populações indígenas e quilombolas. Um governo racista, que promove uma avalanche de destruição. Obrigada ao Festival por abrir essa janela por onde respiramos um pouco de ar puro”, agradeceu Ruy Guerra.

Aos pedaços”– Direção: Ruy Guerra
– Elenco: Emilio de Mello, Simone Spoladore, Christiana Ubach, Julio Adrião
– Sinopse: “Eurico Cruz amanhece irritado. Sabe que algo está por acontecer. Um bilhete, assinado por um A. lhe anuncia sua morte. Quem o ameaça? Embaralham-se os espaços, as personagens, suas paixões extremas, seus ódios, amores e suspeitas.

Ganhador de melhor fotografia, Pablo Baião comentou: “É muito bonito ver o Festival de Cinema de Gramado se renovar. Eu vi todos os filmes, os filmes concorrentes são belíssimos. Há lindas fotografias e por isso sou mais honrado por ganhar esse prêmio. Muito obrigado por fazerem esse Festival. A gente vai continuar, o cinema vai viver. Vai sobreviver a esse governo que nos vê como inimigos”, finaliza Baião.

A portuguesa Isabel Zuaa conquistou o júri e foi eleita a melhor atriz pela atuação no longa “Um Animal Amarelo”, tragicômica fábula tropical, como descreve o diretor Fernando Bragança. A história de um cineasta falido que mergulha em uma jornada pelo Brasil também é vencedora nas categorias ,elhor Direção de Arte para Dina Salem Levy, e Melhor Roteiro para Felipe Bragança. Isabel recebeu a notícia de sua casa, em Portugal. Muito emocionada, teve tempo de agradecer e manifestar a admiração pelas atrizes que disputam com ela o Kikito antes da família invadir a tela para um abraço coletivo.

“Me Chama que eu Vou”, o documentário sobre a vida do cantor Sidney Magal levou o prêmio de Melhor Montagem, Kikito que vai para Eduardo Gripa.

O Prêmio Canal Brasil foi concedido para o curta Inabitável, de Luciana Souza, que recebe R$ 15 mil e o direito a exibição na programação do Canal.

Estrangeiros

 Festival de Cinema de Gramado 2020 – Longa-Metragem Estrangeiro – Filme:
“La frontera”– Direção: David David
– Elenco: Daylin Vega Moreno, Sheila Monterola, Nelson Camayo, Alejandro Aguilar, Yull Núñez.
– Sinopse: “En mitad de una crisis fronteriza entre Colombia y Venezuela, una joven indígena vive con su esposo y su hermano, robando a viajeros que van por trocha, hasta que el destino la empuja al borde de su ilusión, haciéndola perderse en misteriosos sueños.”

“La Frontera”, de Davi Davi, é o Melhor Filme longa estrangeiro do 48º Festival de Cinema de Gramado. Assinando também o roteiro, o jovem cineasta que retrata o drama de famílias afetadas pelas crises de fronteira entre Colômbia e Venezuela levou o Kikito nas duas categorias. O longa também garantiu a estatueta de Melhor Atriz para as duas protagonistas Daylin Vega Moreno e Sheila Monterola. “Estou contente e nervoso. Agradeço ao Festival por essa alegria. É um ponto de esperança, precisamos encontrar maneiras de que tudo isso não deixe sequelas muito profundas”, comentou o diretor David David.

O Kikito de Melhor Direção foi para “El gran viaje al país pequeño”, de Mariana Viñoles, documentário que acompanhou a trajetória de duas das cinco famílias de refugiados sírios recebidas pelo Uruguai em 2014.

Anibal Ortiz recebeu o Kikito de Melhor Ator por “Matar a un Muerto”, filme ambientado durante o período da ditadura militar no Paraguai. A Melhor Fotografia ficou para Nicolas Trovato, por “El Silencio del Cazador”.

Gaúcho

O melhor longa-metragem gaúcho Portuñol, da diretora Thais Fernandes, fala sobre a intersecção de culturas. “Muito feliz por este reconhecimento, e quero parabenizar os colegas, agradecer a todas as pessoas que fizeram parte deste filme. Queríamos mostrar uma fronteira que muita gente não conhece, a mistura de cultura, mostrar a importância de conviver com as diferenças. É uma narrativa que fala da importância de conviver com as diferenças”, diz Thais.

Curtas

48º Festival de Cinema de Gramado 2020 – Curta-Metragem Brasileiro – Filme:
O Barco e o Rio – (AM) – 17’12’’ – Ficção –
Direção: Bernardo Ale Abinader –
Sinopse: Vera é uma mulher religiosa que cuida de uma embarcação no porto de Manaus. Ela precisa lidar com a irmã Josi com quem diverge em relação a como lidar com o barco e sobre como viver a vida.

O “Barco e o Rio” é o grande vencedor na categoria de Curta-metragem Brasileiro. A produção amazonense gira em torno de duas irmãs. Vera é uma mulher religiosa que vive em um barco ao lado da irmã Josi, que frequenta os bares dos arredores. O curta venceu em quatro categorias e levou os Kikitos para Melhor Filme, Melhor Direção para Bernardo Ale Abinader, Melhor Fotografia para Valentina Ricardo e Melhor Direção de Arte para Francisco Ricardo Lima Caetano.

O Kikito de Melhor Atriz vai para a experiente Luciana Souza, por “Inabitável”. Luciana interpreta Marilene, que procura por sua filha, uma mulher trans que está desaparecida. A atriz interpretou Isa no aclamado “Bacurau” e tem em sua trajetória papéis como dona Joana de “Ó pai, ó”. “Inabitável” também tem o Melhor Roteiro, Kikito concedido a dupla Matheus Farias e Enock Carvalho. Daniel Veiga levaou a estatueta como Melhor Ator pela interpretação do entregador de app em “Você tem Olhos Tristes”, filme que também tem a Melhor Montagem, prêmio para Ana Júlia Travia.

Melhor Trilha Musical foi para Hakaima Sadamitsu e M. Takara, por “Atordoado, eu permaneço atento” e Melhor Desenho de Som para Isadora Torres e Vinicius Prado Martins, de “Receita de Caranguejo”.

Edição Multiplataforma

Desta vez, os espectadores puderam acompanhar os 51 filmes concorrentes, entre longas e curtas, pelas telas do Canal Brasil e pelo serviço de streaming do Canal.

“Uma honra para o Canal Brasil abrigar esta edição do Festival de Gramado. Uma adaptação necessária em um ano especial que tem como linda consequência a democratização do acesso. Temos a clara sensação de estar escrevendo a história e comemoramos juntos a edição mais popular do festival. Como se convidássemos todos que acompanham a cada ano o tapete vermelho e fãs do cinema brasileiro espalhados por todo país para dentro do Palácio dos Festivais”, comenta o diretor geral Canal Brasil André Saddy.

Rafael Carniel, presidente da Gramadotur, autarquia municipal responsável pela realização do Festival de Cinema de Gramado, e que nunca considerou a possibilidade de não realizá-lo, avalia a decisão.

“Neste ano de pandemia a gente manteve o Festival de Cinema de Gramado em respeito a uma indústria que gera R$ 25 bi de faturamento, quase 2% do pib brasileiro. É um mercado que antes da pandemia crescia em média 7%, até mais do que o turismo. São aproximadamente 13 mil empresas que geram em torno de 300 mil postos de trabalho. São cerca de 100 profissões ligadas à indústria do audiovisual. Mas mais do que isso eu pergunto: qual o valor da indústria que muito além de gerar números, toca a vida das pessoas? No contexto de pandemia ela tem formado opiniões, tem tirado o mundo da ignorância, interrompido a cegueira sobre a realidade do outro. Qualificado, emocionado, aliviado a dor das pessoas”, declara.

A diretora de eventos da Gramadotur, Iara Sartori, também comemora a edição.

“Nosso Festival de Cinema cumpriu sua missão. mais uma vez deixou um legado importante para Gramado e para o audiovisual brasileiro e latino. Nesse momento diferente e delicado para o turismo e para os eventos, acreditamos e reiteramos na vocação da cidade que se projetou pela cultura. A realização desta edição, com toda segurança e inovação, mostra o comprometimento da cidade e da Gramadotur com o público que vêm à cidade e, principalmente, com os gramadenses que recebem os visitantes e, juntos, fazem de Gramado uma grife desejada mundo afora.

Vencedores

 TROFÉU KIKITO – Idealizado em 1967 pela artista Elisabeth Rosenfeld, a estatueta foi concebida para personificar o Deus do Bom Humor. E é assim que o Festival de Cinema de Gramado segue firme e potente. | Foto: Cleiton Thiele / Agência Pressphoto

Longa-metragem Brasileiro – LMB

Melhor Filme recebe o Kikito + prêmio de R$ 25 mil

Demais categorias recebem o Kikito + R$ 2 mil

Melhor Filme – King Kong en Asunción

Melhor Direção – Ruy Guerra, por Aos Pedaços

Melhor Ator – Andrade Júnior, por King Kong en Asunción

Melhor Atriz – Isabél Zuaa, por Um Animal Amarelo

Melhor Roteiro – Felipe Bragança, por Um Animal Amarelo

Melhor Fotografia – Pablo Baião, por Aos Pedaços

Melhor Montagem – Eduardo Gripa, por Me Chama Que Eu Vou

Melhor Trilha Musical – Salloma Salomão, por Todos os Mortos e Shaman Herrera, por King Kong en Asunción

Melhor Direção de Arte – Dina Salem Levy, por Um Animal Amarelo

Melhor Atriz Coadjuvante – Alaíde Costa, por Todos os Mortos

Melhor Ator Coadjuvante – Thomás Aquino, por Todos os Mortos

Melhor Desenho de Som – Bernardo Uzeda, por Aos Pedaços

Prêmio Especial do Júri: Elisa Lucinda, por Por que você não chora?

Menção Honrosa do Júri: Higor Campagnaro, por Um Animal Amarelo

Longa-metragem Estrangeiro – LME

Melhor Filme recebe o Kikito + prêmio de R$ 12 mil

Demais categorias recebem o Kikito + R$ 1,5 mil

Melhor Filme – La Frontera

Melhor Direção – Mariana Viñoles, por El gran viage al país pequeño

Melhor Ator – Anibal Ortiz, por Matar a un Muerto

Melhor Atriz – Daylin Vega Moreno (Diana), Sheila Monterola (Chalis), por La Frontera

Melhor Roteiro – David David, por La Frontera

Melhor Fotografia – Nicolas Trovato, por El Silencio del Cazador

Prêmio Especial do Júri: El Gran Viaje al País Pequeño

Longa-metragem Gaúcho – LMG

Melhor Filme recebe o Kikito + prêmio de R$ 5 mil

Melhor Filme – Portuñol, de Thaís Fernandes

Curta-metragem Brasileiro – CMB

Melhor Filme recebe o Kikito + prêmio de R$ 6,5 mil

Demais categorias recebem o Kikito + R$ 1 mil

Melhor Filme – O Barco e o Rio

Melhor Direção – Bernardo Ale Abinader, por O Barco e o Rio

Melhor Ator – Daniel Veiga, por Você tem olhos tristes

Melhor Atriz – Luciana Souza, Inabitável

Melhor Roteiro – Inabitável, Matheus Farias e Enock Carvalho

Melhor Fotografia – O Barco e o Rio, para Valentina Ricardo

Melhor Montagem – Você tem olhos tristes, para Ana Júlia Travia

Melhor Trilha Musical – Atordoado, eu permaneço atento, para Hakaima Sadamitsu, M. Takara

Melhor Direção de Arte – O Barco e o Rio, para Francisco Ricardo Lima Caetano

Melhor Desenho de Som – Receita de Caranguejo, Isadora Torres e Vinicius Prado Martins

Prêmio especial do júri: Preta Ferreira, por Receita de Caranguejo

Júri Popular

Curta Brasileiro: O Barco e o Rio, de Bernardo Ale Abinader

Longa Estrangeiro: El gran viaje al país pequeño, de Mariana Viñoles

Longa Brasileiro: King Kong en Asunción, de Camilo Cavalcante

Júri da Crítica

Curta Brasileiro: Inabitável

Longa Estrangeiro: El Gran Viaje al País Pequeño

Longa Brasileiro: Um animal amarelo

Conexões Gramado Film Market anuncia vencedores do Concurso Interativo

Em sua quarta edição, o Conexões Gramado Film Market realiza mais uma vez seu Concurso Interativo, que premia a melhor Série Brasileira e Documentário Brasileiro. Das quase 500 inscrições, cinco produtos foram selecionados para a votação, que ocorreu via internet.

A Melhor Série Brasileira é “Lupita pelo mundo”, série de animação infantil dirigida e produzida por Petit Fabrik e Druzina Content. Já o Melhor Documentário Brasileiro é Sementes: Mulheres Pretas no Poder”, dirigido por Éthel Oliveira e Julia Mariano.

Os vencedores receberão o Prêmio TECNA – PUC, no valor de 5 mil reais em serviços de infraestrutura, no centro de produção audiovisual e, também, a possibilidade de licenciamento para TV por assinatura nos canais Box Brasil e na plataforma Box Brasil Play.

Apoio

Ministério do Turismo, Secretaria de Estado da Cultura e Stella Artois apresentam o 48º Festival de Cinema de Gramado. Lei de Incentivo à Cultura. Patrocínio: Stella Artois. Copatrocínio: Vero, a maquininha do Banrisul. Apoio Especial: Companhia Riograndense de Saneamento – CORSAN. Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Novas Façanhas. Apoio: Adylnet/Connect City, Laghetto Hotéis, The End, Miolo Wine Group, Stemac Grupos Geradores, Cristais de Gramado, Caracol, Planalto Chocolates e Tecna. Exibidor Oficial: Canal Brasil. Agência Oficial: Vento Sul Turismo. Apoio institucional: Museu do Festival de Cinema de Gramado, SIAV RS, ACCIRS, IECINE, APTC/ABD-RS, Fundacine, Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Ancine. Agente cultural: AM Produções. Promoção: Prefeitura de Gramado. Financiamento: Pró-Cultura/RS, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Realização: Gramadotur, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal, Pátria Amada Brasil.

 48º Festival de Cinema de Gramado 2020 – 26/09/2020 – Palácio dos Festivais – Cerimônia de Premiação – Entrega dos Kikitos – TROFÉU KIKITO – Idealizado em 1967 pela artista Elisabeth Rosenfeld, a estatueta foi concebida para personificar o Deus do Bom Humor. E é assim que o Festival de Cinema de Gramado segue firme e potente. | Foto: Edison Vara / Agência Pressphoto
Foto 1 -Festival de Cinema de Gramado 2020 – 26/09/2020 – Palácio dos Festivais – Cerimônia de Premiação – Kikitos – Apresentadores Renata Boldrini, Roger Lerina e Marla Martins agradecem a equipe de transmissão do festival – | Foto: Edison Vara/Agência Pressphoto
Daiane Evangelista
www.pautaassessoria.com.br
fb.me/pautaassessoriaecomunicacao
Porto Alegre / Canela
(51) 9.9992 7654